Sofás, caminhas ou casinhas? O que escolher para o gato?

Os gatos gostam de conforto. E se você acostumar o seu gato a ter uma caminha desde pequeno é bem provável que ele irá dormir nela. Claro que a cama do dono ocupa um lugar especial para o gato, mas até para uma boa convivência, se o seu gato tem uma caminha para repousar e dormir, será muito bom.

Se o gato tiver um lugar para dormir isso será também importante para o seu desenvolvimento. Mas o fato é que ele irá apenas dormir neste local se o mesmo for aconchegante e seguro. Por isso, antes de escolher um sofá, caminha ou casinha leve em conta o estilo de seu gato e o que ele gosta mais.

Conforto e limpeza

Não adianta nada você oferecer uma caminha linda para o seu gato se ela está suja. Os gatos são bem higiênicos e se você não realizar a limpeza, ele não vai acabar dormindo nela. Mesmo que você acredite que essa cama seja a mais confortável para ele.

Essa é também uma dica na hora de adquirir uma caminha para ele. Por isso, comprar uma cama que seja fácil de realizar a higiene é uma questão que deve ser levada em conta no momento que o tutor for realizar a compra, pois assim ele pode ver se vai conseguir manter em ordem.

Opções: qual escolher?

Hoje o mercado pet dispõe de uma quantidade maior de opção de cama para o gato. Tanto camas, sofás e casinhas. Mas qual escolher? Vamos apresentar três opções e você pode ver qual de fato será bom para o seu gato.

Cama: A cama é uma opção bem tradicional e muitos gatos se adaptam facilmente a ela.

Casinha: A casinha é mais fechada. Alguns gatos gostam de ficar mais reservados e gostam muito dela. Mas antes de comprar a sua para o seu gato, observe o comportamento  do seu gato e se ele entraria na casinha sem medo.

Sofá: muitos gatos gostam dessa opção também.

As rações de acordo com a fase dos gatos ou cachorros

Uma boa forma de manter a saúde e o bem estar dos pets é investir em rações balanceadas. Existem hoje no mercado inúmeros tipos de rações. Algumas com valores mais em contas e outras mais caras. Mas o mais importante é adquirir um ração de acordo com o seu gato ou cachorro.

Por exemplo, para gatos castrados é importante que o seu tutor adquira uma ração específica para gatos castrados. Ela vai conter todos os componentes que são importantes na hora dele se alimentar. O mesmo vale, por exemplo, para cães filhotes. Se puder comprar rações voltadas para filhotes elas também irão conter a composição que um filhote de cachorro precisa. E conforme ele for crescendo, você pode ir mudando o tipo de ração, mas lembre-se sempre de consultar o médico veterinário. Isso porque ele vai conseguir analisar o seu pet e felino e identificar se ele é mais propenso a apresentar alguns problemas e assim, ela vai orientar uma ração mais específica.

Rações equilibradas

De acordo com cada fase do animal, o mais importante é que ele consuma rações equilibradas, onde constam nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Sendo assim, as rações são na grande maioria das vezes classificadas como: filhotes/adultos/idosos. Nesta classificação, há ainda aquelas rações bem específicas de acordo com algum problema que o animal possua, por exemplo, se o seu gato tem problema urinário, o ideal é que ele consuma uma ração que possua uma dieta equilibrada para ajudar neste problema.

Outra questão importante que toda ração é voltada para determinado porte do animal, fase de vida e se apresenta um problema. As rações secas são as mais indicas pelos médicos veterinários. Elas ainda podem ser classificas como: comum, standart, Premium e super Premiun.

Exemplos de rações

Vamos listar alguns tipos de rações indicadas para o seu gato ou cachorro.

Ração Chronos Pet Adultos Raças Pequenas : é altamente digestível e muito atrativa para os cães, a Ração Chronos Pet para Adultos de Raças Pequenas possui fórmulas precisas para que desde os seus primeiros meses de vida seu cachorro tenha uma nutrição equilibrada, com atendimento a todas as suas necessidades de vitaminas, minerais e demais nutrientes, visando a uma vida saudável e longeva.

 

Hills Gatos Adultos cuidados renais: é feita para gatos que já apresentaram problemas ou sob orientações veterinárias. Em sua composição ela contém: Conteúdo proteico reduzido para ajudar a diminuir a sobrecarga renal,  fósforo reduzido para ajudar a manter a boa função renal e minimizar o estresse sobre os rins e Sódio reduzido para ajudar a manter a pressão arterial normal.

Como vocês puderam ler, a ração anterior é específica para um problema que o gato tem, e neste caso é indicada essa ração. Converse sempre com seu veterinário ele irá te ajuda nesta escolha. Boa sorte e cuida bem do seu animal de estimação!

Como escolher um veterinário de confiança para o seu bichinho

Atualmente, muitas pessoas têm animais de estimação em casa, sendo eles considerados como membros da família. Por isso, esses bichinhos precisam de cuidados com alimentação e saúde. Diante disso, é bom ter um profissional da área veterinária que realize um bom trabalho e atenda com empenho e dedicação os bichinhos de estimação. Porém, algumas pessoas ficam com dúvidas em depositar tanta confiança em um profissional ou clínica especializada. Para isso, é preciso verificar a credibilidade da clínica ou profissional perante a sociedade e amigos. Confira abaixo algumas dicas para escolher corretamente este profissional ou clínica:

  1. Confiança: Ter a disposição um profissional de confiança é a melhor coisa quando o assunto é saúde e bem estar de animais domésticos. Para isso, você deve perguntar a amigos, familiares e vizinhos o profissional que eles depositam confiança. Assim, ficará mais fácil decidir onde levar seu bichinho.
  2. Experiência: A experiência profissional do veterinário, ou então do corpo clínico de um estabelecimento é primordial antes de decidir o local que seu bichinho será tratado sempre que precisar. Além disso, você deve conhecer in loco as instalações da clinica veterinária. Com isso, você terá a certeza de um bom atendimento.
  3. Atenção no Atendimento: Talvez essa seja uma das principais dicas para que seu bichinho se torne um “cliente” do estabelecimento. Ou seja: é na hora da consulta, que geralmente é realizada por alguma emergência, que podemos ter a carta de apresentação do profissional ou clinica veterinária. O veterinário que trata o bichinho com carinho e atenção na hora da consulta ganhará um novo cliente, pois isso é muito importante para conquistar o dono do bichinho.
  4. Atendimento 24 horas: Hoje as clínicas veterinárias precisam contar com atendimento 24 horas, com ambulância ou atenção domiciliar sempre à disposição dos bichinhos de estimação. Este é um dos principais quesitos na hora de escolher um profissional ou clínica veterinária.
  5. Especialização: Além da experiência e infraestrutura adequada, a clínica veterinária precisa contar com profissionais que possuam especializações para o atendimento mais complexo. Ou seja: não adianta uma clínica bem estruturada, mas sem profissionais qualificados. Isto deve ser observado para a comodidade do seu bichinho, pois se ele precisar fazer exames e, ainda, tiver que ficar hospitalizado deve contar com uma clínica de boa infraestrutura e com profissionais com especializações em áreas diversas.
  6. Clínica próxima da sua residência: Se o bichinho de estimação tiver que ficar hospitalizado, você precisa considerar uma clínica veterinária próxima de sua casa, principalmente em grandes centros urbanos. Assim, ficará mais fácil para fazer visitas ao bichinho na hora que você precisar e puder, aliando comodidade e conforto.
  7. Banho e Tosa: Nem todas as clínicas veterinárias oferecem serviços como banho, tosa, corte de unhas e pelos. Então, se você for escolher uma clínica veterinária verifique antes se ela disponibiliza estes serviços opcionais, pois assim fica mais fácil tratar do seu pet em apenas um local no qual você tem confiança.

Se você for a um consultório veterinário é importante também notar algumas coisas, desde o atendimento a reputação do local. É claro que podem ter consultórios simples e que entregam uma boa qualidade de atendimento para o seu Pet, mas alguns fatores podem influenciar, desde a parte estrutural do local, para saber se é adequado para o seu Pet, higiene e até mesmo o design da clínica são fatores que podem demonstrar o carinho e tratamento da mesma com o seu Pet. Também é importante que se procure uma boa loja de produtos para Pet Shop.

11 sinais de que você precisa levar seu cachorro no veterinário

Ter um cachorro é uma das coisas mais maravilhosas que existem, mas isso traz uma enorme responsabilidade.

Você provavelmente já sabe que seu cachorro precisa fazer um check-up no veterinário todo ano e cães idosos (a partir dos 8 anos) precisam visitar o veterinário de 6 em 6 meses. Mas às vezes é preciso levar o cão no veterinário se algo errado estiver acontecendo com ele.

Se você notar um dos sintomas abaixo no seu cachorro, não entre em pânico. Embora sejam problemas que exijam tratamento, a maioria, em geral, não é grave.

Ser um dono responsável inclui prestar atenção no seu cachorro. Sejam mudanças de comportamento ou físicas, quanto mais você conhecer o seu cachorro, mais fácil será de identificar quaisquer mudanças e mais fácil será o tratamento se algo for identificado precocemente.

 

Sinais que você deve estar atento

  • Aumento ou perda de peso
    Tanto o ganho quanto a perda de peso podem significar um problema de saúde. Entretanto, donos de cães tendem a não observar essa flutuação no peso do cachorro. Tenha o costume de pesar seu cachorro de tempos em tempos para acompanhar o peso dele. A perda de peso pode significar diabetes, anemia, desnutrição ou o cachorro pode ter parado de comer por sentir alguma dor. O ganho de peso pode significar problemas na tireóide, abdômen distentido ou problemas na glândula adrenal.
  • Diminuição da energia / atividade
    Se seu cachorro costumava ser ativo e agora anda mais paradão, isso pode significar anemia, dor nas juntas, problemas de coração, artrite ou apenas fraqueza. Normalmente um cachorro doente fica mais prostrado e quieto, por isso podem ser muitas coisas. Fique atento.
  • Coçar, lamber ou mastigar a si mesmo
    Qualquer um desses três sintomas pode significar que o animal está com coceira na região. De acordo com os veterinários, alergias são a causa número 1 das visitas ao consultório. Pode ser uma alergia alimentar, uma alergia de contato ou mesmo outras coisas como sarna canina ou pulgas e carrapatos.
  • Cheiro ruim
    Um cheiro mais forte que o normal é algo pra ser examinado. Se você perceber isso, imediatamente cheque:
    – orelhas
    – glândulas anais
    – boca
    – dentes
    Mesmo assim é importante que um profissional olhe seu cão, pois pode ser uma infecção.
  • Vômito e diarreia
    Às vezes os cachorros vomitam. Se seu cachorro vomitar uma vez, não há motivo pra se preocupar. Mas, se ele está vomitando várias vezes por dia, ou vomitando e tendo diarreia ao mesmo tempo, possivelmente tem algo errado com ele. O veterinário pode checar por parasitas intestinais ou obstrução intestinal (o cachorro engoliu algo que ficou preso no intestino). A diarreia sozinha pode significar que o cão está com giárdia e esse verme precisa ser tratado com urgência.
  • Beber mais água que o normal
    Se seu cachorro passar a beber mais água que o normal sem ter aumentado o nível de atividades físicas, isso pode significar um problema. Esses cães terminam toda a água do pote mais rápido que o normal, buscam por água em poças e potes de outros animais, lambem o fundo do pote vazio ou vão na privada pra beber mais água. Isso pode ser um sinal de diabetes, problemas renais ou problemas na glândula adrenal. Leve ao veterinário para exames.
  • Tossir e espirrar
    Pode ser sinal de uma infecção do trato respiratório: gripe canina. Pode ser também tosse de canil ou pneumonia. Um outro sinal da gripe é a coriza amarela esverdeada que sai do nariz do cachorro. Normalmente é preciso antibióticos, seu veterinário precisa avaliar.
  • Sangramento
    Seu cachorro jamais deve sangrar em nenhum lugar. Se você encontrar sangue, é sinal de um problema. O único sangue “normal” é quando a cadela está no cio, no período de sangramento. Veja aqui tudo sobre o cio em cadelas. Se você tem uma cadela castrada, fora do período do cio ou um macho, seu cão nunca deve sangrar.
  • Cachorros podem sangrar pelo nariz, por um corte na pata ou ter sangue na urina. Se o cão tem um ferimento, pode ser que precise levar pontos. Se há sangue na urina ou nas fezes, serão necessários exames laboratoriais para checar o problema.
  • Acidentes inesperados
    Os cães estão sujeitos a tantos problemas de saúde quanto os humanos. Problemas intestinais, sangue na urina, acidentes em casa podem ser tão graves pros cães quanto é para os humanos. Pode significar pedra na bexiga ou uma internação na UTI. Precisa de tratamento e acompanhamento do veterinário. Você não quer ver seu cão sofrendo de dor, certo?
  • Cachorro mancando
    O cachorro pode mancar por vários motivos. Mas mancar também pode significar câncer nos ossos, por isso é importante envolver o seu veterinário o quanto antes. Mancar também pode significar ruptura de ligamento, artrite ou algo preso embaixo das patas.
  • Caroço ou edema
    Um caroço em qualquer lugar do corpo (boca, costas, patas, dedos) precisa ser verificado pelo veterinário. O médico vai fazer um procedimento simples (coletar uma amostra com uma agulha). A maioria será benigna, mas é melhor checar.
  • Orelhas irritadas ou com muita cera
    Se as orelhas apresentam vermelhidão ou estão fabricando muito cera, pode ser sinal de otite. Leve ao veterinário pra que ele possa checar, descobrir a causa da otite e receitar os medicamentos corretos.
  • Cachorro pressionando a cabeça na parede
    Esse é um sinal grave de que algo não vai bem com a parte neurológica do cachorro. Se você vir seu cachorro fazendo isso, leve ao veterinário imediatamente.

Como cortar as unhas do seu cão

Cuidar da saúde de seu pet não se resume apenas em dar as vacinas necessárias ou remédios quando doentes e cuidar da sua higiene. Para mantê-lo saudável também é necessário cuidar de sua alimentação.

Manter uma alimentação bem balanceada pode ajudar tanto na recuperação de certos problemas e saúde, como também na precaução deles. Para ajudar no balanceamento de nutrientes e também melhorar a dieta do seu pet, a suplementação alimentar é a recomendação mais certeira.

1-    Especialista

 Antes de comprar o suplemento alimentar para seu pet, a dica mais importante é procurar um especialista em nutrientes e também em animais. Procurar um veterinário, ou um nutricionista animal, te permite conhecer mais a respeito da saúde do seu animal. Você pode conferir se ele pode  ingerir certas vitaminas, se não apresenta nenhum tipo de alergia ou intolerância a certo nutriente, informações desse tipo só poderão ser esclarecidas com o conhecimento de um especialista no assunto.

O profissional da área animal ou da nutrição também pode dar dica valiosas para um balancear melhor o alimento do seu pet, uma vez que você informe a ele um motivo mais específico da suplementação animal.

2-    Qualidade do Produto

 Na hora de comprar um suplemento é importante lembrar que a qualidade desse complemento alimentar pode fazer muita diferença nos resultados esperados. Como todo suplemento alimentar é uma preparação para complementar a dieta, a seleção dos produtos e também a fabricação podem diferenciar de uma marca para outra.

3-    Objetivo

Comprar um suplemento alimentar pro seu pet pode ser muito fácil se você souber o porque está comprando. Se o objetivo de começar a suplementação da dieta for apenas para balancear os nutrientes que estão faltando, melhorar a alimentação e investir na prevenção de doenças, adquirir um suplemento rico em vitaminas é o ideal.

Além da prevenção, o objetivo também pode ser repor os nutrientes que estão em falta no organismo do seu animalzinho, e para isso será necessário antes procurar um especialista para informar qual o nutriente está em falta. Existem muitos suplementos específicos em fibras, aminoácidos, ácidos graxos e minerais, e saber qual a necessidade do seu pet é muito importante para poder comprar o suplemento correto.

Muitos donos procuram suplementos alimentares para dar mais energia para seus praticarem exercícios, e para essas atividades os suplementos ideais são as proteínas, vitaminas e também alguns minerais. Realçar a beleza das plumas ou até mesmo as cores das escamas é necessário balancear bem os nutrientes.

4-    Concentração

Na hora de adquirir o suplemento é importante saber a respeito da concentração do produto. Muitos produtos possuem maiores concentrações dos nutrientes, fazendo deles suplementos mais “fortes” e economizando-o nas dosagens, porém uma concentração muito forte pode trazer efeitos não desejados para seus pets, como excesso de peso e outras complicações para os órgãos filtradores.

Saber se a concentração está dentro dos padrões legais para um suplemento, seja por excesso de nutriente ou por escassez, é importante antes de adquirir o complemento alimentar ideal para seu pet.

Dicas para Comprar Suplemento para seu Pet

Cuidar da saúde de seu pet não se resume apenas em dar as vacinas necessárias ou remédios quando doentes e cuidar da sua higiene. Para mantê-lo saudável também é necessário cuidar de sua alimentação.

Manter uma alimentação bem balanceada pode ajudar tanto na recuperação de certos problemas e saúde, como também na precaução deles. Para ajudar no balanceamento de nutrientes e também melhorar a dieta do seu pet, a suplementação alimentar é a recomendação mais certeira.

1-    Especialista

 Antes de comprar o suplemento alimentar para seu pet, a dica mais importante é procurar um especialista em nutrientes e também em animais. Procurar um veterinário, ou um nutricionista animal, te permite conhecer mais a respeito da saúde do seu animal. Você pode conferir se ele pode  ingerir certas vitaminas, se não apresenta nenhum tipo de alergia ou intolerância a certo nutriente, informações desse tipo só poderão ser esclarecidas com o conhecimento de um especialista no assunto.

O profissional da área animal ou da nutrição também pode dar dica valiosas para um balancear melhor o alimento do seu pet, uma vez que você informe a ele um motivo mais específico da suplementação animal.

2-    Qualidade do Produto

 Na hora de comprar um suplemento é importante lembrar que a qualidade desse complemento alimentar pode fazer muita diferença nos resultados esperados. Como todo suplemento alimentar é uma preparação para complementar a dieta, a seleção dos produtos e também a fabricação podem diferenciar de uma marca para outra.

3-    Objetivo

Comprar um suplemento alimentar pro seu pet pode ser muito fácil se você souber o porque está comprando. Se o objetivo de começar a suplementação da dieta for apenas para balancear os nutrientes que estão faltando, melhorar a alimentação e investir na prevenção de doenças, adquirir um suplemento rico em vitaminas é o ideal.

Além da prevenção, o objetivo também pode ser repor os nutrientes que estão em falta no organismo do seu animalzinho, e para isso será necessário antes procurar um especialista para informar qual o nutriente está em falta. Existem muitos suplementos específicos em fibras, aminoácidos, ácidos graxos e minerais, e saber qual a necessidade do seu pet é muito importante para poder comprar o suplemento correto.

Muitos donos procuram suplementos alimentares para dar mais energia para seus praticarem exercícios, e para essas atividades os suplementos ideais são as proteínas, vitaminas e também alguns minerais. Realçar a beleza das plumas ou até mesmo as cores das escamas é necessário balancear bem os nutrientes.

4-    Concentração

Na hora de adquirir o suplemento é importante saber a respeito da concentração do produto. Muitos produtos possuem maiores concentrações dos nutrientes, fazendo deles suplementos mais “fortes” e economizando-o nas dosagens, porém uma concentração muito forte pode trazer efeitos não desejados para seus pets, como excesso de peso e outras complicações para os órgãos filtradores.

Saber se a concentração está dentro dos padrões legais para um suplemento, seja por excesso de nutriente ou por escassez, é importante antes de adquirir o complemento alimentar ideal para seu pet.

Dicas para Viajar com seu animal de estimação

Férias, feriados, um bom momento para viajar e aproveitar o tempo com a família. Mas e seu pet? Como deve proceder para leva-lo em uma viagem?

Como um membro importante da família, é preciso ter cuidado ao viajar com um animal de estimação. Passar as férias com seu pet pode exigir preparação minuciosa. Dependendo do destino, são necessárias doses de paciência para lidar com a burocracia dos hotéis, das companhias aéreas e de ônibus. Além de cuidados básicos para que o bicho não sofra durante o trajeto.

O primeiro problema que o dono pode encontrar são os regulamentos das empresas responsáveis pelo transporte e pela hospedagem. Como não existe legislação específica para viajar com animais domésticos no Brasil, cada uma segue sua própria cartilha.

Dois documentos são sempre requisitados: o cartão de vacinação e o atestado de saúde assinado por um veterinário. Planejar com antecedência é o segredo para não voltar frustrado. A seguir, confira algumas dicas para transportar animais domésticos.

Carro

Mesmo com pets acostumados a longos trajetos, evite alimentar o animal nas duas horas que antecedem a viagem, para que ele não vomite no caminho, e, se o percurso for longo, é importante programar paradas a cada duas horas para o animal fazer xixi. Além disso, prefira viajar nos horários mais frescos – bem cedinho ou durante a noite. Fora do carro, ofereça água, mas não o alimente.

Para os cães que podem andar dentro do carro, as caixas de transporte e os cintos de segurança para animais devem ser adotados. É indispensável na viagem para sua segurança e de seu melhor amigo. Além do risco de acidentes, deixar o bicho solto é infração, com perda de pontos na carteira e multa.

Avião

A maioria das companhias limita o número de animais por vôo. Por isso, quem pretende levar seu pet deve fazer reserva específica até 24 horas antes do embarque.

Em geral, os de pequeno e médio porte são aceitos na cabine de passageiros, desde que permaneçam dentro da caixa de transporte.

Em algumas Companhias Aéreas, por exemplo, para o pet ir junto com o dono, seu peso somado ao da caixa não pode ultrapassar 10 kg, mas o necessário é verificar com a Companhia Aérea o tamanho de caixa transporte permitida. A taxa para embarcar o animal em voos domésticos da companhia varia de uma companhia para outra e de pende do trecho a ser voado.

Certifique-se também quais documentos exigidos serão necessários além do cartão de vacinação , seja a viagem nacional ou internacional.

 Ônibus

Nem todas as empresas de transporte rodoviário aceitam animais. Algumas empresas, por exemplo, permite bichos de até 8 kg. Mas informa que os outros passageiros devem estar de acordo.

Verifique com a empresas as taxas pelo transporte, pois algumas não cobram . O dono pode viajar com ele no colo, dentro de caixa de transporte. Somente alguns veículos possuem compartimento apropriado no bagageiro. É aconselhável deixar água à mão, assim como toalhas de papel e saco de lixo para eventuais emergências.

É bom lembrar que animais são sensíveis a mudanças. Cada detalhe deve ser pensado. As decisões devem levar em conta a idade e as condições de saúde do bicho.

Hospedagem

Os hotéis e as pousadas que aceitam animais costumam exigir que a presença do pet seja avisada no ato da reserva. Em geral, são pedidos somente o cartão de vacinação e o atestado de sanidade. Em alguns estabelecimentos, há também a assinatura de um termo de compromisso onde o dono se compromete a pagar possíveis despesas com estragos.

Alguns hotéis permitem a presença de animais de até 10 kg e oferecem serviços de banho, tosa e passeios para os pets.

Como escolher uma caixa de transporte para seu animal de estimação?
Seu animal de estimação deve estar confortável em sua caixa de transporte. Escolha o modelo em mente de caixa de transporte prevendo o tamanho de seu animal de estimação na vida adulta. Verifique se o seu animal de estimação pode se levantar e virar-se em sua caixa. O conforto e segurança do seu pet são os principais requisitos para um transporte adequado.

Dicas para embarcar
– Compre a caixa de transporte com antecedência
– Estimule o animal a brincar dentro dela para criar intimidade
– Leve a cama e a ração de costume
– Não use sedação; prefira calmantes à base de substâncias naturais
– Mantenha os mesmos horários de alimentação e passeio
– Espalhe objetos conhecidos no quarto do hotel

Dia de chuva – Cuidados para seu pet

Para muitas pessoas, um dia chuvoso parece o momento ideal para ficar em casa, porem para os pets pode ser o prenúncio de um pesadelo. Com a chegada do período das chuvas, grande parte das pessoas que tem pets acaba abolindo os passeios na rua. E por este motivo acabam esquecendo dos cuidados essenciais, principalmente para aqueles que mantém rotina em ambiente externo, para garantir a saúde do mascote.

Golden Retrivier, Shih Tzu, Lhasa Apso, entre outras raças de pelo longo são mais propensa a retenção de umidade entre os dedos e nas orelhas. Fatores que tornam favorável o desenvolvimento de micoses e otites. Nesta situação, pode ser usada uma toalha para retirar todo excesso de água do pelo e, sendo possível, utilize um secador para eliminar totalmente a umidade retida na pele.

Em casos de passeios em dia chuvoso, a atenção deve ser redobrada, principalmente em locais que possa ter água empoçada que ele possa pisar ou até beber, pois a mesma pode estar contaminada, trazendo o risco que ele pegue alguma doença, por exemplo a leptospirose. Use capa de chuva ou outros meios para proteger a pelagem do pet destas condições de tempo e  ao voltar do passeio, lave muito bem as patas de seu pet, secando corretamente como já explicado. Os primeiros sintomas da leptospirose são febre, depressão, perda do apetite, vômito, desidratação, mucosas congestas, icterícia(coloração amarelada de pele e mucosas), urina escura e dor renal ou muscular. Esses dois últimos podem ser notados nos animais através da mudança de comportamento. Ao notar estes sintomas em cães e gatos procure imediatamente um médico veterinário e isole outros animais da casa.

As medidas preventivas são simples e incluem cuidados com a saúde e com o ambiente em que o animal vive.